Trio Nordestino e Sena no Forró do Iate

O tradicional Forró do Iate apresenta nesta edição 2018 o melhor do forró tradicional com duas grandes atrações. Fundado em 1958 em Salvador, o Trio Nordestino completa 60 anos de sucesso e história na música brasileira, com mais de 50 discos gravados. O cearense/sergipano Sena, com 33 anos de carreira no cenário sergipano apresenta seu show Forró na Roça com grandes sucessos do gênero e músicas autorais. A noite contará com Open Bar (cerveja, água de coco, água mineral, refrigerante e serviço para destilados e diversos) e quiosques com venda de comidas típicas. Garanta sua mesa com valor promocional neste mês de maio (sócio - R$480,00 em 3x no crédito / não sócio e convidado - R$550,00 em 2x no crédito). Em junho os valores passam para (sócio - R$550,00 em 3x no crédito / não sócio e convidado - R$650,00 em 2x no crédito). Mais informações na secretaria do clube pelos fones (79) 3211-9623 / 98877-0450. Imperdível!

 

Serviço:

O que: Forró do Iate 2018

Quando: 09 de junho de 2018, às 21h30

Atrações musicais: Trio Nordestino e Sena – Forró na Roça

Onde: salão nobre do Iate Clube de Aracaju – Av. Beira Mar, s/n – Bairro 13 de Julho

Valores das mesas:

Sócios:

1º Lote – Maio: R$480,00 (3x no crédito)

2º Lote – Junho: R$550,00 (2x no crédito)

Não Sócios e convidados:

1º Lote – Maio: R$5500,00 (3x no crédito)

2º Lote – Junho: R$650,00 (2x no crédito)

 

Sobre Trio Nordestino:

Atravessando gerações, Trio Nordestino completa 60 anos de história

Foi em maio de 1958 que nasceu, nas ruas do Pelourinho, aquele que seria o trio de forró mais antigo do Brasil. Nessa época, em uma das apresentações que realizavam nas casas noturnas de Salvador, Lindú, Coroné e Cobrinha conheceram o músico e compositor Gordurinha, responsável por levá-los para o Rio de Janeiro com a promessa de gravar um disco. Já na capital carioca, o grupo recebeu o título “Trio Nordestino” concedido por D. Helena, esposa de Luiz Gonzaga, após o fim do grupo formado por Dominguinhos, Zito Borborema e Miudinho.

Depois de duas tentativas frustradas na Odeon Records e na RCA, foi na Copacabana discos que conseguiram o contrato para o primeiro álbum, garantindo o sucesso com a canção "Chupando gelo", fato que rendeu a gravação de um LP por ano. Junto com a fama veio a chance de sair em turnê com o Rei do Baião, percorrendo o Nordeste durante 75 dias. Na oportunidade, Seu Lua recordou a negativa que deu ao grupo quando foram lhe pedir apoio e justificou: “Se eu tivesse ajudado, vocês teriam se acomodado e hoje não teriam alcançado a marca de vendas que ultrapassa a minha”. Dali em diante, uma relação forte de amizade foi estabelecida com o grande nome do forró de todos os tempos.

O disco de maior sucesso veio em 1970 com a canção “Procurando Tu”, de Antônio Barros e J.Luna, responsável pela venda de mais de 1 milhão de discos, atingindo rádios de diversos segmentos em todo o Brasil.

Chegadas e partidas

Foi em 1982 que morreu Lindú, o líder e sanfoneiro do Trio Nordestino. Antes de sua partida, ele mesmo escolheu seu substituto: Gennaro. O cantor permaneceu no Trio durante 11 anos e após sua saída, em uma coincidência infeliz, quem parte é Cobrinha. Depois de mais uma perda Luiz Mário, filho  de Lindú, assume os vocais e o triângulo. Já a sanfona passou a ser de Beto Sousa, afilhado de Lindú e filho de Antônio Ceará, compositor paraibano. Assim, junto com Coroné, o Trio Nordestino seguiu com uma nova geração, mas com o mesmo DNA.

Foi essa formação que lançou o primeiro disco na era dos CD’s, em 1997 e permanceu até 2005 quando o último fundador veio a falecer. Antes de partir conferiu a seu neto, que passou a se chamar Coroneto, a missão de seguir a carreira como zabumbeiro, onde permaneceu por onze anos até passar o bastão para Jonas Santana, filho de Entre Rios.

2018

Hoje, na 5ª geração, o Trio Nordestino segue firme e forte no cenário do forró brasileiro. Com mais de cinquenta discos gravados, no ano passado o grupo lançou pela Biscoito Fino o disco “Trio Nordestino Canta o Nordeste”, que rendeu uma indicação ao Grammy Latino (2017). Para 2018, as comemorações do 60 anos já têm agenda especial incluindo o Forró do ICAJU 2018, a exposição na Assembleia Legislativa da Bahia e no Shopping Center Lapa (Salvador), homenagem no Troféu Gonzagão 2018, gravação de um novo álbum e turnê na Europa.

 

Sobre Sena:

O cantor, compositor e instrumentista João César Carvalho de Sena é cearense de Fortaleza, nascido em 17 de abril de 1964, filho de Luiz Gonzaga de Sena e Valderina Freire de C. Sena, o sétimo de oito irmãos.

Desde muito cedo demonstrou que gostava de música, quando pegava o violão de seu irmão mais velho. Com esta demonstração de interesse sua mãe o presenteou com um violão e daí por diante nunca mais parou de tocar.

Sena chegou a Aracaju em 1982 junto com sua noiva, hoje esposa e mãe de três filhos, Filipe, Raphael e Jeová, o caçula do coração (adotado).

Estudou até o segundo grau completo (hoje Ensino Médio), fez concurso para a Polícia Militar, ingressou em 1985 na corporação. Em 1997 foi transferido para o Corpo de Bombeiros e hoje é Capitão do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe (reformado).

Em 1985 conheceu os músicos do grupo Band’auê, começou a participar dos ensaios como violeiro do grupo e depois tornou-se vocalista. Com o fim do grupo formou a dupla Sena & Sergival, juntos cantaram e tocaram por quase nove anos. A dupla se desfez em 1999 e a partir daí Sena partiu para carreira solo. Sua discografia conta com o DVD “FORRÓCAJU 2011 AO Vivo” e cinco CDs, sendo o primeiro “Canto dos Pássaros”, seguido de “Forró da Roça”, “Nordestino”, “Sena In Canto – Pedidos” e “Canta os Poetas – José Cândido e Ronaldo Dória”.

Recebeu os Títulos de Cidadão Aracajuano e Sergipano em prol do trabalho musical que desenvolve no Estado e hoje é um dos artistas mais conceituados em Sergipe.

Participou de vários festivais de músicas locais e nacionais, vencendo vários. Registra também a participação em shows com artistas sergipanos e brasileiros, a exemplo de Elomar, Xangai, Xangai, Vital Farias, Geraldo Azevedo, Acuã, Chico Queiroga & Antônio Rogério, Amorosa e muitos outros.

Fonte: Assessoria de Sena